Erva doce

O nome científico dela é Pimpinella anisum, e pode ser comprada em lojas de produtos naturais, feiras livres, farmácias de manipulação e mercados.

O chá de erva-doce é conhecido por ajudar a acalmar os ânimos, assim como a camomila. Mas ele tem diversas outras utilidades. Por exemplo: diminuir gases, retenção de líquidos, cólicas e problemas no estômago.

Veja o resumo de algumas situações nas quais a Erva-Doce é empregada:

 

 

 

  • Artrite
  • Asma
  • Bronquite
  • Catarro
  • Coriza
  • Dor de Barriga
  • Dor de Cabeça
  • Espasmos
  • Gripe (em estudo)
  • Indigestão
  • Inflamações
  • Palpitações
  • Resfriado
  • Tosse

Benefícios comprovados da Erva-Doce

  • Alivia cólicas intestinais – graças a seu efeito calmante, erva-doce combate esse desconforto.
  • Diminuição do inchaço – acontece por meio do efeito diurético da erva-doce.
  • Redução de distúrbios estomacais – o ácido málico presente na erva melhora a digestão porque fornece hidrogênio em quantidade necessária à acidificação do estômago.

Isso é importante pois a baixa produção de ácido clorídrico (ácido gástrico) prejudica o funcionamento do organismo. É um distúrbio conhecido como hipocloridria.

Potencialmente grave, a hipocloridria pode levar à carência de vários nutrientes (cobre, cálcio, zinco, sódio, magnésio, cromo, selênio e manganês, entre outros).

  •  Combate aos gases – com a infusão da folha ou semente, é liberado o anetol, substância encontrada na erva-doce e que otimiza a digestão, diminuindo assim a flatulência.

A gripe é um dos casos nos quais a Erva-Doce mostra potencial de uso, podendo ser aproveitada, inclusive, em gargarejo para dor de garganta.

Já nos pacientes em tratamento de câncer, as sementes de erva-doce apresentam um efeito calmante sobre o corpo, tendo revelado bastante utilidade entre aqueles submetidos à quimioterapia ou à radiação.